Curiosidades e tudo que você sempre quis saber...


Para entender a história... é uma publicação técnico-científica on-line independente brasileira, indexada pelo IBICT, Latindex, CNEN e LivRe; no ar desde sexta-feira 13 de Agosto de 2010.
Não possui fins lucrativos, seu objetivo é disseminar e difundir o conhecimento através de artigos com qualidade acadêmica e rigor cientifico, mas linguagem acessível ao grande publico.

Periodicidade: Semestral (edições em julho e dezembro) a partir do inicio do ano de 2013.
Mensal entre 13 de agosto de 2010 e 31 de dezembro de 2012.

Livros com preços promocionais a partir de 4,99.

sábado, 25 de setembro de 2010

Peronismo – Parte 7 (Final): indicações para leitura.

Para entender a história... ISSN 2179-4111. Ano 1, Volume set., Série 25/09, 2010, p.01-03.

No Brasil, as obras que tratam o tema peronismo são raras e escassas.
Um dos motivos se deve a estrema proximidade do fenômeno peronista de nossos dias, o que termina por torná-lo atual.
Além disso, as poucas obras existentes em português acabam sempre classificando erroneamente o peronismo como populismo, o que exige do leitor certo senso crítico.
De qualquer modo, concernente ao estudo do peronismo pode ser consultada a obra de Maria Lígia Coelho Prado, “O populismo na América Latina”, da coleção “Tudo é História” da editora Brasiliense.
Apesar de classificar o peronismo como populismo, pode servir de ponto de partida ao estudo sobre o fenômeno.
Igualmente, uma boa fonte inicial de consulta é o livro de Murmis e Portantiero, “Estudos sobre as origens do peronismo”, também da editora Brasiliense, embora ele caia no mesmo erro do anterior.
Estas obras podem ser mescladas com textos que tratam do fascismo propriamente dito, possibilitando identificar o peronismo como fenômeno de caráter fascista.
Sobre o fascismo são textos de consulta obrigatória: a “Introdução ao Fascismo” de Leandro Konder, da Graal;  a “Psicologia de massas do fascismo” de Wilhelm Reich, da Martins Fontes; e “Ascensão e queda do III Reich” de William Shirer, em 4 volumosos tomos, editado pela Civilização Brasileira.
Podendo ser consultadas também as obras: “Minha Luta” escrita pelo próprio Adolf Hitler; “Hitler” de Joachim Fest; e o “Fascismo Italiano” de Angelo Trento.
Sobre o fascismo espanhol e as condições em que surgiram as revoluções populares e, por sua vez, o fascismo como resposta imediata a tais revoluções, pode ser consultada a obra do eminente professor francês Pierre Broué, “A revolução espanhola: 1931-1939”, que esteve no Brasil em setembro de 1996, participando do Simpósio Guerra Civil Espanhola: 60 anos, realizado na Universidade de São Paulo.
Sobre as relações entre Brasil, Argentina e Estados Unidos, pode ser consultada a obra de Moniz Bandeira, “Estado Nacional e política internacional na América Latina: o continente nas relações argentina - Brasil (1930-1992)”, da Editora Ensaio.
Aqueles que desejam realmente se aprofundar o estudo do peronismo podem ainda ler alguns textos em espanhol: “La política de los militares argentinos: 1900-1971” de Dario Canton; “História Argentina: la democracia constitucional y sus crisis” de Canton e Moreno; “Perón o muerte: los fundamentos discursivos del fenómeno peronista” de Sigal e Verón; e “Gobierno peronista y política del petroleo en Argentina: 1946-1955” de Marcos  Kaplan.
Para complementar este estudo pode ser consultada a obra “As razões do iluminismo” de Sérgio Paulo Rouanet.
Entre outros assuntos ele dá uma pincelada sobre questão do irracionalismo do fascismo, que se esconde sobre a aparência de racional.



Para saber mais sobre o assunto.
BANDEIRA, Moniz. Estado Nacional e política internacional na América Latina: o continente nas relações Argentina - Brasil (1930-1992). São Paulo: Editora Ensaio, 1993.
BROUÉ, Pierre. A Revolução Espanhola: 1931-1939. São Paulo: Perspectiva, 1973.
CANTON, Dario. La política de los militares argentinos: 1900-1971. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Argentina Editores, 1971.
CANTON, Dario; Moreno, J. L. & CIRIA, A. Historia Argentina: la democracia constitucional y sus crisis. Buenos Aires: Paidós, s.d.
FEST, Joachim. Hitler. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1976.
HITLER, Adolf. Minha Luta.  São Paulo: Editora Moraes, 1983.
LACLAU, Ernest. Política e ideologia marxista. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.
MURMIS, M. & PORTANTIERO, J. C. Estudos sobre as origens do peronismo. São Paulo: Brasiliense, 1973.
PRADO, Maria Lígia. O populismo na América Latina. São Paulo: Brasiliense, 1981.
REICH, Wilhelm. Psicologia de massas do fascismo. São Paulo: Martins Fontes, 1972.
ROUANET, Sérgio Paulo. As razões do iluminismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.
SHIRER, William L. Ascensão e queda do III Reich. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1963.
SIGAL, Silvia & VERÓN, Eliseu. Perón o muerte: los fundamentos discursivos del fenómeno peronista.  Buenos Aires: Logus, s.d.
TRENTO, Angelo. Fascismo Italiano.  São Paulo: Ática, 1986.
KAPLAN, Marcos. Gobierno peronista y politica del petroleo en argentina: 1946-1955. Caracas: Edicines de la Biblioteca de la Universidad Central de Venezuela, s.d.
KONDER, Leandro.  Introdução ao Fascismo. Rio de Janeiro: Graal, 1977.
UMBERTO ECO em colóquio organizado no dia 24 de abril de 1995, pelo departamento de italiano da Columbia University, publicado pelo jornal “Folha de São Paulo” em 14 de maio de 1995.


Texto: Prof. Dr. Fábio Pestana Ramos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esteja a vontade para debater idéias e sugerir novos temas.
Forte abraço.
Prof. Dr. Fábio Pestana Ramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.