Curiosidades e tudo que você sempre quis saber...


Para entender a história... é uma publicação técnico-científica on-line independente brasileira, indexada pelo IBICT, Latindex, CNEN e LivRe; no ar desde sexta-feira 13 de Agosto de 2010.
Não possui fins lucrativos, seu objetivo é disseminar e difundir o conhecimento através de artigos com qualidade acadêmica e rigor cientifico, mas linguagem acessível ao grande publico.

Periodicidade: Semestral (edições em julho e dezembro) a partir do inicio do ano de 2013.
Mensal entre 13 de agosto de 2010 e 31 de dezembro de 2012.

Livros com preços promocionais a partir de 4,99.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Para entender a história... Balanço do Segundo Ano da Publicação: 13 de agosto de 2011 A 13 de agosto de 2012.


Para entender a história... ISSN 2179-4111. Ano 3, Volume ago., Série 31/08, 2011, p.01-06.



No dia 13 de agosto de 2012 Para entender a história... completa seu segundo ano de existência.

Quando entrou no ar fundado em 2010, contou com apenas 596 visualizações no seu primeiro mês de vida.

Entretanto, em setembro de 2010, o numero de visualizações já havia subido para 10.000; em outubro ainda mais visitas, 15.000 acessos; recendo 26.000 visitantes em dezembro.

Em pouco tempo, as visualizações mensais chegaram a números que não poderíamos imaginar nas estimativas mais otimistas.

Um ano depois, em agosto de 2011, foram registrados 114.667 acessos; em setembro novo aumento no número de visitantes: 140.322.

Em outubro mais um recorde de acessos: 158.591.

No final de 2011, como no ano anterior, o índice de visitas caiu em virtude das férias escolares: 138.888 em novembro e 63.430 em dezembro.

Ainda por conta do período de recesso em faculdades e escolas, em janeiro de 2012 tivemos 57.880 acessos, mas em fevereiro foi registado um expressivo aumento, quando tivemos 106.556 visitas.

Em março de 2012 atingimos o ápice, o maior número de acessos mensais até o presente momento: 196.242.

Mês em que o recorde nos acessos ultrapassou 10.000 visitas por dia em determinadas ocasiões.

No meses seguintes a média superior a cem mil acessos foi mantida: 149.197 em abril; 179.943 em maio; e 125.785 em junho.

Durante as férias escolares de julho de 2012 tivemos 58.438 acessos e, agora, no mês de agosto foram 103.331 visitas.





Em apenas um ano de vida, a publicação já registrou mais de dois milhões de visualizações, contando com 266 seguidores.
 

Nada mal para uma publicação que pretende publicar e divulgar textos que abordam história, filosofia e educação; sem descuidar do teor cientifico das informações e da qualidade da transmissão do conhecimento.

Isto, em um país onde o discurso que valoriza ciência e educação não passa de uma falácia para enganar os eleitores e ganhar audiência no caso da média de grande circulação.

Quase um milagre no Brasil, considerando que os autores dos artigos publicados são em sua quase totalidade pesquisadores e educadores.

Principalmente porque os professores não são valorizados pela sociedade, constantemente desrespeitados dentro e fora de sala de aula, sendo muito mal remunerados no país do futebol que persiste em pagar menos que um salário mínimo por uma jornada exaustiva de trabalho aos profissionais da educação.

Um absurdo, quando contraposto aos milionários salários pagos a vários esportistas e artistas que, ao invés de educar, deseduca crianças e adolescentes através de comportamentos sempre reprováveis e muitas vezes criminosos.

 

Breve histórico.

Ao iniciar a publicação, ela nasceu como um blog despretensioso, em uma sexta-feira 13, em agosto deste ano de 2010, exatamente há um ano atrás.

A intenção era publicar textos curtos e divulgar as publicações do hoje editor de Para entender a história... Prof. Dr. Fábio Pestana Ramos.

Ao criar o blog, a ideia era justamente ir na contramão do corporativismo acadêmico que deixa de publicar artigos de qualidade em nome do coleguismo e de inúmeros outros fatores nada justos.

Não imaginávamos então a repercussão dos textos pelo mundo, mesmo todos estes sendo de autoria apenas de uma única pessoa.

Sugestões de leitores que demonstraram interesse em participar do blog fizeram com que passassem a ser aceitos textos de outros autores somente a partir de outubro de 2010.

Estas colaborações de leitores passaram a ser publicadas as terças-feiras, enquanto as antes diárias postagens do editor seriam fixadas apenas as segundas-feiras.

Destarte, como os textos se assemelhavam mais a artigos acadêmicos ou de divulgação com qualidade cientifica inquestionável, o blog foi transformado em revista on-line, Publicação Técnico-Científica, em novembro de 2010.

Quando a publicação recebeu indexação junto ao Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia da República Federativa do Brasil, através ISSN 2179-4111.

O IBICT somente concede ISSN para as publicações que apresentam artigos originais, atendendo o requisito de manutenção de periodicidade e expediente.

A instituição não concede ISSN para publicações que apenas reproduzem textos de outros sites ou que apresentam resumos, além de negar o registro para blogs pessoais.

Portanto, para adquiri o ISSN, o blog passou por atenta analise do IBICT, obtendo rápida aprovação.

Assim referendada, a publicação ganhou status e reconhecimento científico, os seus artigos passaram a gozar do direito de inserção no currículo lattes dos autores colaboradores como publicação em periódico, o que começou a atrair mais colorações.

Consolidando este reconhecimento, em janeiro de 2011, iniciamos a formação de um conselho editorial, constituído por importantes nomes da área de história, filosofia e educação.

O qual ficou responsável pela análise dos artigos remetidos para publicação, emitindo pareceres, colaborando com artigos publicados esporadicamente as quartas-feiras.

 

Aos poucos o conselho editorial foi agregando nomes, sendo atualmente formado por titulados em universidades renomadas.

 

Constituído um conselho editorial forte, a publicação recebeu a indexação do LATINDEX, instituição responsável pela catalogação de publicações cientificas em toda América Latina.

Ainda em fevereiro de 2011, Para entender a história... foi indexado também pelo CNEN - Portal do Conhecimento Nuclear - e LivRe – Catálogo de Revistas Cientificas on-line -, ambos pertencentes ao Ministério de Ciência e Tecnologia da Republica Federativa do Brasil.

Apesar da publicação não constituir mais propriamente um blog, usando tão somente a base de hospedagem gratuita de dados do Google, através do blogspot; foi indexada pelo IBSN - Internet Blog Serial Number – pelo número de registro 217.941.100.0.

Por esta altura, pensando em fazer cumprir a lei dos direitos autorais (lei 9.610/98), inserimos em todos os artigos uma marca no inicio de cada texto, contendo o volume, número de série e paginação.

 

Em pouco tempo, a publicação se tornou uma referência, com artigos citados em livros e nos meios acadêmicos por autores com trabalhos indexados pela CAPES e outras instituições.

Além de citações e indicações de textos por universidades no Brasil e no exterior, principalmente Portugal, sobretudo em cursos EAD, as quais incorporaram os artigos de Para entender a história... na bibliografia obrigatória de seus cursos de humanidades.

Servindo de referencia para professores e alunos (graduação e pós-graduação), não só no ensino superior, mas também na educação básica (ensino fundamental e médio), a publicação foi indicada como finalista para o prêmio blog books em 2010 e premiada com o Top100 do topblogs 2011 na categoria educação.

 

Retrospectiva das Estatísticas Gerais.

Em seus dois anos de vida, publicamos mais de 250 postagens; entre artigos, editorais e boletins.

Colaboraram com a publicação 63 autores, muitos com mais de um artigo publicado, alguns com uma dúzia de textos, aos quais fica aqui registrado nossos agradecimentos.

 
Os artigos mais populares nestes dois anos, respectivamente, com o nome do autor e numero de acessos, foram:

01. Educação, escola, família e sociedade: Fábio Pestana Ramos (160.392).

02. A revolução francesa foi causada pela fome: Fábio Pestana Ramos (110.164).

03. O imperialismo europeu no continente africano: Victor Mariano Camacho (69.972).

04. Educação no Brasil Império: Fábio Pestana Ramos (47.812).

05. A passagem da antiguidade para o feudalismo: Fábio Pestana Ramos (43.534).

06. 1964 – O golpe de Estado e a ditadura militar: Fábio Pestana Ramos (38.646).

07. A revolução cubana: Eliane Santos Moreira (28.748).

08. Os astecas e os sacrifícios humanos: Marcus Vinicius de Morais (25.842).

09. História do analfabetismo no Brasil: Fábio Pestana Ramos (20.816).

10. A formação do planeta terra: Fábio Pestana Ramos (19.989).

 

Ao atingir mais de dois milhões de visualizações, segundo dados do Google, Para entender a história... recebeu visitas de pessoas de mais de 80 países diferentes.

A maior parte destas visitas foram de leitores do Brasil, porém, o restante das visualizações tiveram origem em outros países, tais como: EUA, Canadá, México, Republica Dominicana, Porto Rico, Honduras, Nicarágua, Argentina, Uruguai, Equador, Peru, Chile, Costa Rica, Guiana, Portugal, Espanha, Polônia, Dinamarca, Alemanha, Holanda, Suécia, França, Rússia, Croácia, Albânia, Eslováquia, Moldávia, Bélgica, Angola, Moçambique e até do Japão e da China.

Somente de Portugal, por razões obvias, foram quase 145.000 visitas, por isto mesmo fica aqui registrado nosso agradecimento aos irmãos portugueses.

 

Forte abraço:
Equipe e Conselho Editorial de Para entender a história...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esteja a vontade para debater idéias e sugerir novos temas.
Forte abraço.
Prof. Dr. Fábio Pestana Ramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.